Apendicite: quais as formas de tratamento?

A imagem mostra um braço de uma pessoa com a mão no local do apêndice.

Logo na primeira porção do intestino grosso temos um órgão linfático chamado apêndice. Ele fica localizado no ceco e seu formato é similar ao dedo de uma luva. Atua como uma espécie de depósito para bactérias boas que auxiliam na digestão dos alimentos.

No entanto o apêndice, por seu formato, pode acumular resíduos e restos fecais. Essa é a principal causa da apendicite, uma inflamação que pode evoluir para infecção, sendo ocasionada por essa obstrução do ceco e a instalação de bactérias ali.

A apendicite requer tratamento imediato porque pode trazer complicações e, inclusive, levar o paciente a óbito. Assim, o auxílio médico é indispensável, e neste artigo explicaremos como essa inflamação é tratada para reequilibrar o quadro clínico. Continue lendo para descobrir.

Como a apendicite é tratada?

Em casos de apendicite há um comprometimento do apêndice que, na maioria das vezes, exige a retirada desse órgão, ou seja, a apendicectomia. Portanto, o principal tratamento para esse problema é a cirurgia.

Ela pode ser realizada por meio da técnica aberta ou por via laparoscópica. No segundo caso a incisão é bem menor, o paciente tem um pós-operatório mais tranquilo e os resultados alcançados são os mesmos do campo aberto.

Quando é feito o diagnóstico da apendicite, em especial para os pacientes que dão entrada no atendimento de emergência, a cirurgia é indicada imediatamente. Isso porque, quando não tratada, a apendicite pode levar a uma ruptura do órgão despejando o material no organismo e levando a uma infecção generalizada, quadro que pode levar a óbito.

O tratamento clínico da apendicite pode ser realizado em alguns poucos casos por meio da administração de substâncias antibióticas (antibioticoterapia). Porém, isso é feito apenas quando, por exemplo, não há um bloqueio total ou se a cirurgia for um risco maior do que a inflamação em si.

Por meio de exames, com base nos sintomas do paciente e os seus sinais clínicos a equipe médica definirá a melhor abordagem. De toda forma, a cirurgia continua sendo o tratamento principal para evitar as complicações da apendicite.

Quais são os sintomas da apendicite?

A apendicite é um problema que requer atenção e tratamento imediato, então, é muito importante identificar os seus sintomas e procurar ajuda médica, uma vez que pode ser necessária uma cirurgia de emergência.

No quadro de apendicite aguda manifesta-se, principalmente, dor do lado direito do abdômen, na altura do umbigo. Ela tem início com uma sensação de pontadas mais leves, evolui para um incômodo constante até atingir forte intensidade, para alguns até mesmo insuportável.

Outros sintomas também podem ser percebidos em quadros de apendicite, como:

  • constipação (prisão de ventre);
  • inchaço e/ou rigidez abdominal;
  • perda de apetite;
  • náuseas;
  • vômitos;
  • calafrios;
  • apatia;
  • febre.

Lembrando que esses sintomas não precisam necessariamente vir associados para caracterizar um quadro de apendicite. Mas a dor do lado direito do abdômen é o principal indício, portanto, é fundamental procurar um atendimento de emergência caso ela se manifeste.

É possível prevenir a apendicite?

Um dos maiores problemas para o desenvolvimento da apendicite é o formato do apêndice, que favorece o acúmulo de resíduos. Além disso, esse quadro está relacionado com o trânsito natural do intestino, sendo assim, ainda não é possível afirmar medidas com 100% de eficácia para fazer a prevenção dessa inflamação.

Entretanto, mesmo não sendo um problema previsível, podemos adotar uma dieta mais saudável a fim de favorecer o funcionamento do intestino. Acrescentar ao cardápio alimentos ricos em fibras e evitar o consumo excessivo daqueles que causam prisão de ventre ajuda a reduzir o tempo que as fezes permanecem no intestino.

Ingerir bastante água ao longo do dia também mantém o fluxo intestinal mais livre, favorecendo a motilidade dele e a eliminação do bolo fecal. Mais uma vez, ressaltamos que essa é uma forma de favorecer o funcionamento do intestino, prevenindo de forma indireta o acúmulo de resíduos no apêndice.

O atendimento imediato é fundamental para os casos de apendicite, por isso, identifique os sintomas e procure ajuda médica seguindo as orientações do especialista até que o diagnóstico se confirme ou seja eliminado. Assim você receberá o devido tratamento sem colocar sua saúde em risco.

DR. MARCELO LINHARES

CRM 112046

Sou Marcelo Linhares, graduado em Medicina pela Universidade Federal do Ceará, em 1989.

No ano de 1998, fiz mestrado em Medicina (Gastroenterologia Cirúrgica) pela Universidade Federal de São Paulo, com aperfeiçoamento em Cirurgia  Hepatobiliar, na Université Paris-Sud XI no Centre Hépato-Biliaire do Hôpital Paul Brousse, Paris-FRA, em 2000.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 5 =

AGENDE SUA CONSULTA

FALE CONOSCO

× Agende sua consulta