Descubra como evitar o refluxo gastresofágico

A imagem mostra uma mulher, do ombro ao abdome, com as mãos na barriga.

Entre o estômago e o esôfago temos uma estrutura chamada de válvula esofagiana. A função dela é dar passagem para os alimentos a fim de que cheguem ao estômago, em seguida, ela deve se fechar para impedir que eles retornem para o esôfago.

Pode acontecer de essa válvula não funcionar direito, então, ocorre o refluxo gastroesofágico. Para algumas pessoas esse evento acontece de forma isolada, mas outras apresentam a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) caracterizada por um mau funcionamento crônico dessa válvula.

Nos casos esporádicos é possível prevenir esses eventos com pequenas mudanças no estilo de vida. Para quem tem a DRGE essas adequações também ajudam na prevenção e controle dos sintomas. Nesse artigo mostramos como você pode evitar o refluxo, seus desconfortos e possíveis complicações.

Controlar a acidez estomacal

Um dos sintomas do refluxo gastroesofágico é a queimação, por isso, há quem acredite que o excesso de acidez no estômago é o que provoca esse regurgitamento. No entanto, o descontrole dos ácidos estomacais é que favorece o refluxo.

Isso se dá porque é necessário o suco gástrico para que a digestão aconteça. Sendo assim, quando ele é insuficiente, o processo digestivo fica mais lento e difícil, mas podemos reverter esse problema reduzindo o consumo de alguns alimentos, são eles:

  • bebidas alcoólicas;
  • bebidas gaseificadas;
  • bebidas ricas em cafeína;
  • doces;
  • chocolate;
  • adoçantes artificiais;
  • frutas cítricas;
  • temperos;
  • óleos vegetais;
  • molho de tomate;
  • alimentos processados;
  • batata;
  • grãos em geral.

Além disso, as reações aos alimentos variam de pessoa para pessoa, então, o ideal é que você preste atenção quando surgir o refluxo, lembrando aquilo que comeu ou bebeu, para entender quais são as reações do seu organismo, a fim de adequar o seu cardápio.

Adequar os hábitos alimentares

Além de adequar o cardápio conforme as necessidades do seu organismo é preciso promover uma mudança positiva nos hábitos alimentares, ou seja, na maneira como você se alimenta, para favorecer a digestão.

Primeiro, evite fazer refeições muito volumosas. Prefira fracioná-las ingerindo pequenas quantidades mais vezes ao dia. Também evite os lanches noturnos, fazendo sua última refeição no mínimo duas horas antes de ir se deitar.

Quando for se alimentar, evite distrações como a televisão ou o celular. Isso para que você consiga se concentrar na mastigação, se alimente devagar e dê tempo para o cérebro e o organismo “entenderem” que você está comendo. Quando terminar, evite ficar deitado ou em qualquer posição que pressione o estômago.

Preferir refeições leves antes de esforços físicos

Quando fazemos esforços físicos, como os exercícios na academia, é preciso trabalhar o abdômen, e isso pode promover uma pressão nessa região. Consequentemente, favorecemos um evento de refluxo gastroesofágico. A solução nesse caso é adequar a refeição.

Prefira ingerir alimentos mais leves, que não façam muito volume no estômago e que possam ser facilmente digeridos. Também tem a atenção às roupas que usará, evitando aquelas que pressionam a região do abdômen para que não prejudiquem a circulação sanguínea.

Evitar a automedicação

Se você tem o hábito de ler a bula dos medicamentos deve ter percebido que a maioria deles pode provocar desconfortos gastrointestinais. Por isso, muitos podem agravar os quadros de refluxo gastroesofágico, daí a importância de evitar a automedicação.

As substâncias anti-inflamatórias não esteroides estão no topo da lista. Inclusive, é recomendado que elas sejam ingeridas junto com algum alimento para minimizar os impactos no estômago. O ideal é, quando precisar de uma medicação, conversar com o seu médico e sempre utilizar apenas aquilo que ele recomendou, reforçando que você tem refluxo.

Como explicamos, qualquer pessoa pode experimentar um evento de refluxo quando alguma refeição não cai muito bem no estômago, digamos assim. Mas quando os eventos São muito recorrentes se caracterizam como doença do refluxo gastroesofágico. Portanto, prefira consultar um médico para que ele possa ajudar na adequação dos seus hábitos.

DR. MARCELO LINHARES

CRM 112046

Sou Marcelo Linhares, graduado em Medicina pela Universidade Federal do Ceará, em 1989.

No ano de 1998, fiz mestrado em Medicina (Gastroenterologia Cirúrgica) pela Universidade Federal de São Paulo, com aperfeiçoamento em Cirurgia  Hepatobiliar, na Université Paris-Sud XI no Centre Hépato-Biliaire do Hôpital Paul Brousse, Paris-FRA, em 2000.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =

AGENDE SUA CONSULTA

FALE CONOSCO

× Agende sua consulta